top of page
Buscar

Remodelando a estratégia da rede


Quem fez?

A Rede Brasil Esportes – RBE é uma rede de cooperação de lojistas do ramo esportivo que conta com 57 lojas no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Os associados RBE contam com apoio no processo de gestão da loja, consultoria jurídica, técnica, informativa, econômica, fiscal e social, planejamento e orientação na padronização de processos e ações. A rede também promove treinamentos, palestras e eventos para o desenvolvimento das empresas e de seus colaboradores. Fundada em 2004, a RBE promove o desenvolvimento coletivo das empresas associadas para a conquista de maior respeitabilidade por parte de fabricantes de grandes marcas.


Qual era o desafio?

Todo o ano a rede elabora seu planejamento estratégico, gerando melhorias incrementais. Porém, no último ano a rede precisava de uma inovação organizacional e de uma reestruturação. Isso porque a rede cresceu em número de associados, e com isso surgiu a necessidade de avaliar novas oportunidades de negócios, pois sua estratégia e estrutura de governança não atendiam mais o crescimento da rede. Os associados não tinham certeza de qual seria o melhor modelo de gestão a ser adotado, mas a pandemia acelerou essa necessidade de transformação.


O que a rede fez?

A mentora da rede apoiou o processo de remodelagem da rede, evidenciando novos caminhos que a rede poderia seguir para crescer com um modelo de gestão estruturado. As etapas da implantação da mudança foram:

(1) Diagnóstico: com base no conhecimento científico e experiência de mercado, a mentora diagnosticou que a rede estava precisando passar pelo processo de reconfiguração do modelo de negócio. A mentora chegou a essa conclusão ao observar as dissertações sobre redes associativas bem consolidadas no mercado como Redefort, Redemac e Rede Casabem.

(2) Assimilação: A mentora conscientizou os associados sobre o estágio de maturidade que a rede se encontrava. Para isso, apresentou para os associados o modelo de ciclo de vida das redes, proposto pelo professor Dr. Douglas Wegner, mostrando que a rede se encontrava no estágio de maturidade. Logo, a próxima fase esperada seria reinvenção da rede ou esperar pela fase de declínio.

(3) Proposta de mudança: a mentora mostrou aos associados três modelos de rede que poderiam ser adotados pela Brasil Esportes nessa nova fase, visando transformar a estratégia de gestão de compras da rede. O primeiro modelo consistia em buscar um empresário investidor, e a rede passaria a fazer parte desse grupo de compras no formato marketplace. O segundo modelo consistia em associação de lojistas em formato de comprador, sem direito a participação ativa no processo de troca de informações com outros lojistas e tomadas de decisões estratégicas da rede. O terceiro modelo consistia em criar uma nova forma de gestão, pautada em profissionalização da governança da rede, focando na mudança do modelo de negócio e reestruturação da área de compras.

(4) Reconfiguração: Os associados optaram pela reestruturação da rede escolhendo um novo modelo de estrutura de rede. Uma série de modificações internas foi realizada, como a mudança no processo de compras e melhorias no sistema de gestão. A rede bloqueou a entrada de novos associados durante o processo de migração do modelo de negócio.


Quais foram os resultados?

Os associados criaram consciência acerca do momento em que a rede se encontrava e da necessidade de realizar não só inovações organizacionais incrementais à medida que a rede evoluía, mas sim inovações organizacionais radicais. Mesmo redes consolidadas ou que já estão em estágio de maturidade precisam passar por reformulações ou incorporar inovações, sob pena de ficarem estagnadas e correrem o risco de entrar em declínio. O processo de remodelação da Rede Brasil Esportes privilegiou o pensamento sistêmico dos associados, desafiando-os a criar, recriar e reinventar o modelo de negócio da rede. Como resultado, o processo de mudança aumentou a coesão do grupo de associados e a rede já agregou novos associados após a implantação da boa prática.


Quais são as recomendações para outras redes?

Um dos fatores de sucesso do projeto foi o fato de a rede já possuir um altíssimo engajamento dos associados antes do processo de remodelação (as assembleias da rede já contavam com 100% de participação dos associados). Essa coesão, somada à expertise e experiência da mentora na área de estudos de redes associativas contribuiu para que desempenhasse esse trabalho de remodelagem de estratégia de gestão e estrutura de governança da rede.


Fonte: Gestão de Redes e Centrais de Negócios - Estratégias e práticas, Professor Dr. Douglas Wegner e Aruana Rosa Souza Luz.






0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page