Governança de cooperativas e o dilema da legitimidade


A quem interessa esta pesquisa? Gestores de cooperativas de crédito, órgãos públicos e formuladores de políticas públicas de apoio a cooperativas de crédito.


Sobre o que trata? Um dos grandes desafios das cooperativas é fazer com que o maior número possível de associados participe das decisões, para que estas sejam legítimas e estejam alinhadas com os interesses dos membros. Esta pesquisa analisa se as práticas de governança implantadas pelas cooperativas de crédito de acordo com as diretrizes do Banco Central do Brasil contribuem para o aumento da participação dos cooperados e para a ampliação da legitimidade das decisões tomadas nas cooperativas.


Que resultados esta pesquisa apresenta? O novo processo assemblear por núcleos de associados, adotado pela cooperativa estudada, promoveu uma mudança significativa na participação dos associados, resultando no aumento do número de votantes nas assembleias, fortalecendo o envolvimento destes e aumentando a legitimidade da cooperativa perante os associados e a instituição regulatória.


Na prática, como aplicar esses resultados? O exemplo utilizado no estudo demonstra que são necessárias adaptações do modelo de governança tradicional nas cooperativas de crédito para que se possa alcançar uma taxa de participação nas decisões mais elevada, o que aumenta a legitimidade frente às instituições que regulamentam o setor, ao mercado e à sociedade em si.


A pesquisa completa pode ser acessada clicando aqui.

Para contatar a primeira autora da pesquisa: Aline Jansen - aline_jansen@yahoo.com.br

Copyright (2020) Academia da Cooperação