Buscar

Competências para a sustentabilidade no mundo real



Mesmo o estudante recebendo uma formação de excelência, algumas vezes pode lhe faltar competências para agir "no mundo real" depois de formado. A academia identificou esse gap e, para diminuí-lo propõe métodos de ensino e aprendizagem. O artigo Hermann e Bossie (2020) discute a inclusão de um foco de empreendedorismo na educação para sustentabilidade e fornece abordagens de ensino-aprendizagem, principais temas e importância da colaboração externa.


O framework proposto no artigo sugere que a educação para a sustentabilidade seja trabalhada por meio de uma abordagem prática, para a resolução de problemas complexos da comunidade, os estudantes trabalham para desenvolver soluções que podem mudar a maneira como as empresa e os consumidores se relacionam com questões de sustentabilidade.


Se você está no setor produtivo, cultural ou social, vale a pena se abrir para uma colaboração com as instituições de ensino e pesquisa, tanto para projetos aplicados de pesquisa, como também para o ensino. Para além de elaborar e responder pesquisas e entrevistas, a colaboração entre universidade e sociedade tem que ir além, para ser de fato uma via de mão dupla, e que a contribuições sejam mutuamente ricas, permitindo que se possa oferecer e aproveitar o melhor de cada um.


Artigo completo: clique aqui.


Roberto Rivas Hermann, NORD University

Marilia Bonzanini, IFRS



0 comentário